Feliz Ano Novo...

domingo, dezembro 29, 2013 Nenhum comentário

O fim do ano chega, e com ele surgem as perguntas: Eu vivi tudo o que eu planejei no ano anterior? - Eu realizei algum item da  "Minha lista dos Desejos"? - Eu fui feliz? -  Eu aprendi algo novo? - Eu me afastei das coisas que me fazem mal?.

O fim do ano nos trás nostalgia do que ainda nem acabou (e talvez não acabe mesmo). Nos coloca para refletir onde crescemos e o que de novo aprendemos. O fim nos coloca em diversas situações também pela última vez. O fim nos trás um começo.

O meu fim se encerra deixando em mim uma pessoa mais forte, mais madura e mais paciente.

Eu desejo um bom ano, sem muitos itens novos na lista dos desejos. Talvez seja porque quanto mais velhos ficamos, mais sonhos já realizamos. É claro que eu ainda desejo ver a neve, ainda desejo andar pelas ruas de NY e ver as luzes em Paris. Ainda desejo ser profissionalmente importante e acima de tudo estar sempre com as pessoas que eu amo e com os amigos que me fazem feliz.

Desejo apreciar o pôr do sol, desejo sentir o vento no rosto enquanto dirijo sem rumo ao som do que me fizer feliz.

Desejo ter mais motivos para sorrir e se por acaso chorar, que seja por uma boa notícia.


Desejo à mim e ao mundo, um lugar de verdades, sorrisos, momentos de alegria e que as pessoas se abracem muito mais e não só em dias de comemorações.

Obrigada as pessoas que fizeram parte do meu 2013, que estiveram ao meu lado em momentos alegres e nos momentos de tristeza. Obrigada as pessoas que me ensinaram algo novo e as pessoas que me deixaram ensiná-las em retribuição. Obrigada aos amigos sempre tão pacientes quando eu preciso ter um momento só meu. Obrigada a Deus por me deixar acordar todos os dias e viver todas as coisas boas que eu vivi neste ano.

Feliz Ano Novo para todos!!

Espero todos por aqui também em 2014.







Parte de Mim...

sexta-feira, novembro 29, 2013 1 Comentário




"A verdade é que no fundo todos nós temos aqueles sonhos que não são compartilhados. Mas não é por isso, que não desejamos realizá-los.

Ás vezes alguns se realizam e por fim, não é tudo aquilo que realmente sonhamos.
Todos sofremos por um amor perdido. Às vezes o sofrimento volta a se repetir, mas, todos nós, todos, sem realmente nenhuma expectativa de exceção, todos sofremos e sofremos muito por um amor, vivendo ou não o relacionamento. Seja com 16, 18, 26 anos, ou qualquer outra idade, a desilusão do amor dói e nos faz querer não existir, porque a verdade é que a única coisa que acontece diante dessa  primeira experiência da desilusão é que não importa a nossa idade para amar pela primeira vez. Todos vamos sofrer como crianças, pode ser que essa dor não seja tão demonstrada como se ainda fossemos colegiais e isso fosse a única coisa a sentir no nosso mundo, mas a forma e o modo pelo qual sofremos não deixa de ser tão dolorido quanto se ainda fossemos aquelas meninas inexperientes, porque na verdade, sempre seremos.

Demorar a encontrar o nosso primeiro conto de fadas, só adia a dor e o sofrimento. Porque é fato, uma hora ou outra vai chegar a sua vez. Depois disso virão segundas e terceiras chances para uma vida ou um amor brilhante, mas aceitando ou não, vivendo ou não, realizando aqueles sonhos escondidos ou não, nascemos todos para ser feliz, nascemos para trilhar nosso destino, nascemos para deixar a vida de um outro alguém um pouco mais brilhante. Nascemos todos para realizar nossos sonhos e nos permitir ser felizes sempre.
Nunca deixe de ter sonhos nobres, não adianta querer nascer apenas para criar um império, se há pessoas que nascem apenas com o sonho de fazer outras pessoas sorrirem.


Permita-se ser capaz de amar e viver o simples."



Eu escrevi esse texto faz um tempinho já, foi no dia em que assisti Part Of Me da Katy Perry no cinema. Ouvindo as músicas do Cd novo Prism, adorei a letra de  By the Grace of God, é como se ela realmente precisasse escrever essa música para tirar toda a dor de dentro de seu coração.




Pela Graça de Deus
Escrita por: Katy Perry

Eu tinha 27 anos, sobrevivendo ao meu retorno de Saturno
Férias prolongadas não soaram mal
Estava cheia de segredos trancados e amarrados como Iron Mountain
Correndo no vazio, sem gasolina

Pensei que eu não era suficiente
Descobri que eu não era tão forte
Deitada no chão do banheiro
Nós estávamos vivendo num ponto crítico
E eu percebi que a culpa era toda minha
Não aguentava mais

Pela graça de Deus
(Não havia outra maneira)
Eu me peguei de volta
(Eu sabia que tinha que ficar)
Coloquei um pé na frente do outro
E eu olhei no espelho e decidi ficar
Não ia deixar o amor me eliminar desse jeito

Agradeço a minha irmã
Por ter me ajudado a não afundar
Quando a verdade era como engolir areia
Agora, toda manhã, espero
Não haver mais lamentação
Oh, eu finalmente posso me encarar de novo

Eu sei que sou suficientemente
Possível de ser amada
O problema não era comigo
Agora, eu tenho que me levantar
Deixar o universo desafiar
Sim, a verdade te libertará

Desse jeito, não
Não em nome
Em nome do amor
Desse jeito
Desse jeito, não
Eu não estou desistindo

Pela graça de Deus
Eu me peguei de volta
Coloquei um pé na frente do outro e
Eu olhei no espelho
Olhei no espelho
Olhei no espelho.


"A vida passa num piscar de olhos e os momentos bons duram com a mesma intensidade que a descida de uma montanha-russa."

terça-feira, novembro 19, 2013 4 Comentários


Vai ser sempre assim?
Não preciso mentir para dizer a verdade, nem ao menos esconder-me atrás de outras pessoas.
As coisas acontecem apenas uma vez em nossas vidas e jamais as coisas voltam a ser como eram antes.
Se uma vez a amizade abalar, jamais será como antes. Você já viu vidro voltar ao normal quando é quebrado?
Nada volta totalmente ao que era no início. Nada é igual para sempre. Nada é eterno. Nada é infinito. Nada é realmente forte o bastante para aguentar segurar os dois lados. Uma pessoa só não sustenta um relacionamento, seja ele qual for amor, amizade, casamento, namoro.
Uma pessoa sozinha é capaz sim de viver.
Mais uma pessoa só, talvez seja só, porque quando precisou de alguém não havia ninguém a sua volta. Não havia ninguém na sua vida. Não havia ninguém segurando a sua mão.
O amor, a amizade, o carinho sempre existe em nós, mas tem que saber levar e viver, não se pode ter uma relação apenas baseada em interesse.  Podemos ter interesse nas pessoas, em romances ou o que desejarmos,  mas tenho certeza que se deixarmos o interesse sempre em primeiro lugar em nossa vida, uma hora estaremos só. O interesse tem que ser muito bem administrado por nós, em coisas bem simples. Em coisas que não vamos magoar nem machucar as pessoas que nos são importantes. Ás vezes me perco nas coisas que tenho á dizer, e acho que se dissesse todas as coisas que realmente tenho vontade, talvez muitas pessoas me deixariam só.

 

“Ás vezes dizemos NÃO, apenas para testar nossas forças. Nos orgulhamos disso até que ponto, se não há ninguém para dividir a alegria da nossa dor?”

B.C.



Curtam a FAN PAGE do blog no Facebook!

Obrigada pela visita, deixe seu comentário e o endereço do seu blog, vou gostar muito de conhecer seu espaço.








Seja você...

segunda-feira, novembro 04, 2013 1 Comentário


Quantos sorrisos você dá por dia?
E quantos deles são verdadeiros?
Quantos outros são apenas sorrisos?
E quantos você realmente recebeu?
A vida não é apenas sorrir, tão pouco foi feita para chorar.
Surpreender e ser surpreendido.
Amar e ser amado.
Viver e ser importante para alguém.
Ser o motivo da alegria de uma pessoa.
Ser aquele que sempre está por perto.
Ser aquele que apenas é a diferença.
Ser aquele que você realmente é.

Ser você.


O que você faria se não tivesse medo?

sábado, outubro 19, 2013 4 Comentários


Por diversas vezes me perguntaram: “O que você faria se não tivesse medo?”. Centenas de coisas passaram na minha cabeça. Mas depois de pensar por tantas e tantas vezes, talvez hoje a resposta seja única. Eu teria falado: “Eu te amo”.

Eu poderia parar de escrever por aqui, pois isso resume exatamente o que eu tive medo por diversas e diversas vezes. Mas foram tantos os “eu te amo” que não saíram da minha boca, que talvez meu destino tivesse sido outro.

O medo, a vergonha e todos aqueles sentimentos confusos que aparecem no momento exato que sentimos vontade de dizer, fazem com que a gente pense antes de deixar as palavras saírem e no fim, elas voltam cada vez mais para o “fundo do nosso coração”.

Não lembro se alguma vez eu disse: “Mãe, eu te amo”, assim, sem motivo algum, apenas porque a amava. Mas hoje, com certeza se eu tivesse essa oportunidade, jamais deixaria passar.

Não me lembro de responder: “Eu também te amo vó” toda vez que terminávamos nossas conversas ao telefone. Mas hoje, eu diria antes mesmo dela se eu tivesse a oportunidade.

Se eu não tivesse medo eu poderia ter sido muito mais feliz. Se eu não tivesse medo eu teria abraçado muito mais as pessoas que eu amo. Se eu não tivesse medo eu simplesmente deixaria o amor viver em mim.
Dói amar. Dói mais ainda não expor nosso amor àqueles que amamos.

Não passa pela nossa cabeça que sentir saudades dói muito mais que amar. Não passa pela nossa cabeça que continuar a vida sem aqueles que amamos dói muito mais que sentir saudades de alguém que está longe.

É inimaginável o que vamos sentir daqui pra frente e até o fim de nossa vida. Eu apenas desejo poder dizer mais vezes “eu te amo” e acima disso, desejo que seja de verdade e reciproco.

Ás vezes a vida nos faz sangrar apenas para dizer: "Hey! Você está vivo."




Listas Infinitas

segunda-feira, outubro 07, 2013 4 Comentários


Temos listas para tudo, cor preferida, perfume, músicas, chocolate, refrigerante, bares...
Lista de lugares para conhecer, de lugares que conhecemos, lista de filmes que assistimos, e uma lista maior ainda dos que queremos assistir. Aquela lista confidencial de romances quase vividos, ou aquela outra de coisas para fazer antes dos 30 anos.
Lista de empregos dos sonhos, ou a "famosa" lista de fazer antes de morrer e por ai vai, listas infinitas... 
O que pode e não pode, o que queremos e o que não estamos mais nos importando.

Aí de repente a gente percebe que temos uma lista estranha e confusa de amigos.

Melhores amigas, melhores amigos, melhor para sair, melhor para conversar, melhor para ir ao cinema, melhor para contar segredos e pedir conselhos... Mas sei que independente de listas ou não, há aqueles amigos que a gente não se importa em dizer nada, não se importa em pedir ajudar, de ajudar, de pedir conselhos ou aconselhar, há aqueles amigos que a gente não se importa em ser o último ou o primeiro a saber de alguma coisa, a gente apenas quer participar da sua vida por algum motivo, que ás vezes nem nós sabemos muito bem qual é.
A verdade mesmo é que sabemos quem está a qualquer dia e hora para nos ouvir e eles também sabem que estaremos sempre para eles, mesmo se por acaso não chegue um SMS de "Boa Noite".
Amigas são sempre assim...



Minha coluna da semana...

quarta-feira, setembro 25, 2013 1 Comentário
Hello!!

Minha coluna essa semana já está no ar no Blog Love e Books, espero que vocês gostem. É sobre o show do fim de semana em Sampa, Bon Jovi e Nickelback.


Acessem e deixem seus comentários... 




Yellow

sexta-feira, setembro 20, 2013 Nenhum comentário
Tudo começa lá no passado, um tanto distante, um tanto apagado, um tanto perdido e por muitas vezes, um tanto lembrado.
Quando em todas as minhas manhãs era você o meu primeiro pensamento. Quando eu pensava o que vestir, que perfume usar, como arrumar meu cabelo, para chamar a sua atenção.
Todas as manhãs, exatamente na mesma rua, a mesma música Yellow, do Coldplay começava a tocar e eu me perguntava se aquilo era um sinal. E você nunca soube que eu pensava sim em você, que eu me imaginava ouvindo ela ao seu lado.  Tantas foram as coisas que eu nunca lhe disse. E tantas foram as oportunidades que passaram ao meu lado e eu permiti que elas fossem embora.
Eu perdi as contas de quantas vezes lhe disse não, sendo que o que eu mais queria era dizer “SIM”. Eu perdi as contas de quantas vezes eu lhe disse que a gente não podia ficar juntos, mas isso, era a única coisa que eu sonhava. Eu perdi as contas de quantas vezes fingi não me importar por você conversar e fazer gracinhas com outras garotas, mas na verdade eu desejava que você estivesse ao meu lado.
Tantas coisas que eu perdi a conta e tantas mais as que deixei passar. Não me esforcei.
Fingi não me importar quando você foi embora sem explicações e fingi que estava bem. Fingi sorrir, quando dentro de mim havia apenas tristeza, medos e angústias. E toda vez que eu te via, fingia estar tão bem, quanto você na verdade estava.
Quando nossas mãos se tocavam sem querer, era como se só existisse aquele momento, era como se só existíssemos nós dois outra vez.
Tantas foram às vezes que eu disquei seu número só para ouvir a sua voz e loga em seguida desliguava o telefone. Tantas são as cartas que você jamais recebeu.
Os anos foram passando, passando e cada novo dia eu esperava  esbarrar com você nas ruas, nas festas, em cada novo rosto eu te procurava e me perguntava como será que você esta?
E ainda assim o tempo foi passando, eu não tinha notícias sua, eu não fazia ideia de como você estava, onde vivia, o que fazia da vida. Eu não sabia se você tinha entrado para alguma faculdade, se você tinha se casado, se você teve filhos, se você ainda mora na cidade. Eu simplesmente não sabia nada de você, e  comecei achar que você era apenas uma invenção minha. Uma doce e perfeita invenção de como foi amar, de como foi se apaixonar.
Cada pessoa nova que eu conhecia, procurava encontrar um pouco de você.
Dez anos passaram-se e hoje talvez eu acho que me curei de você.
Eu já não te procuro mais no mar de rostos. Eu já não me abalo mais com o seu perfume.

O tempo ensinou a me conhecer. O tempo ensinou a caminhar sozinha, sem me sentir mal. O tempo curou todas as minhas cicatrizes, mas todas as vezes que ás vejo, é impossível não lembrar o motivo que as causou. 


Coldplay - Yellow

Depois de um desabafo desses nem tenho mais o que dizer por hoje.

Boa noite e bons sonhos.

Nós nos pertencemos...

quarta-feira, setembro 11, 2013 Nenhum comentário

Qual o tempo real para tudo desaparecer da minha mente?
Qual a verdade e o valor de todas as nossas promessas?

Parece que todas as promessas simplesmente se desvaneceram em minhas mãos.
As verdades apareceram agora, mas o que de fato acontece é que eu simplesmente quis acreditar em você e em seu amor.
No meu final nós estávamos juntos. No meu final nos realizávamos todos aqueles sonhos que juntos sonhamos. No meu final você segurava minhas mãos e prometia jamais soltá-las, não importaria o que acontecesse, nós estaríamos para sempre lado a lado.  Você prometeu que não me deixaria sozinha, que secaria minhas lágrimas e que estaria ao meu lado em todas as minhas conquistas.
Para onde foi todo o seu amor? Para onde foi toda a sua vontade de envelhecer ao meu lado?
Eu sei que você não quis “matar” meus sentimentos, mas por quê?
Eu sei que você dizia a verdade quando falava sobre nosso futuro, mas porque não teve forças para lutar?
Nos meus sonhos eu imagino que você não queria me fazer sofrer. Nos meus sonhos eu imaginei que dessa vez nós estaríamos lado a lado até a eternidade. Nos meus sonhos nós podemos passar um tempo juntos e eu posso de novo ser feliz. Nos meus sonhos eu imagino como você estará e me pergunto se você ainda pensa em mim. E acima de tudo, se as suas lágrimas serão de alegria ou tristeza.

Na minha vida eu imagino eu lhe esperando para todo sempre, assim como jurei que seria. Mas, no fundo do meu coração eu desejo poder amar outra vez, outra vez e outra, mais quantos amores vier. A vida é muito longa para ser de infelicidade. Eu faço a minha felicidade. Eu trilho meu caminho. Eu mando no meu mundo. 
E hoje infelizmente eu estou deixando você ir embora, para outra pessoa, para outros braços e para novos sonhos. Mesmo que você seja o meu grande amor eu vou superar e viver. Eu vou lutar e vou amar de novo. Enquanto talvez você esteja condenando seu destino a infelicidade.

Eu sou livre. Você é livre. Você me obrigou a te libertar. Agora apenas me deixe ir embora sem olhar para trás.


Sempre te amarei. 

A vida vai passando bem na nossa frente...

quarta-feira, maio 22, 2013 Nenhum comentário

"Nós vivemos apenas o que nos permitimos viver.  Sentimos e sofremos aquilo que nos faz sentir que estamos vivos. Sentimos a dor muito mais do que a alegria. A dor nos mostra onde estamos, onde erramos e o que desejamos viver. A alegria nos mostra nada além de alegria. Mas, muitas vezes nem sabemos mais o que é isso. Aí voltamos ao início de novo e desejamos sofrer para poder nos encontrar, como se essa dor já fizesse parte de nossos ossos."

B.C.



"E enquanto eu lia as mensagens antigas no meu celular, encontrei uma sua que dizia “eu te amo, não esquece”. E, é engraçado… Acho que quem esqueceu foi você."





Love Story

segunda-feira, maio 13, 2013 Nenhum comentário


Love Story,

De Erich Segal.


Oliver é um  jovem de família muito rica e estudante de Direito de Harvard, conhece e se apaixona por Jenny uma estudante de música e acabam se casando algum tempo depois. Porém, o pai do rapaz não aceita Jenny, por ela ser uma moça de família humilde, e acaba deserdando o filho. Algum tempo depois, a moça tenta engravidar e não consegue; vai então fazer exames e descobre que está gravemente doente.

Eu li esse livro pela 1ª vez há mais de 10 anos, e havia ganho muito antes ainda. Ganhei da minha mãe, por acaso, um livro que ela tinha lido em sua adolescência. 

Dei de cara com as primeiras palavras de Erich:
"Que se poderá dizer de uma jovem de vinte e cinco anos que perdeu a vida? Que era bela. E inteligente. Que gostava de Mozart e Bach. E dos Beatles. E de mim."

Na hora pensei que minha mãe tivesse de brincadeira comigo e guardei o livro por uns três anos, quando eu fiz 15 anos, achei o livro numa caixa e comecei a ler.. e a mesma frase que eu achei que era uma brincadeira porque a tal fulana estava morta, foi a frase que dessa vez me deu vontade de ler.
Depois disso eu nunca mais deixei de ler livros de romance e recomendo sempre o livro para minhas amigas. É uma história simples e bonita. Poderia ser comigo, com você ou com qualquer pessoas que estiver nesse mundo.

Ele nos prende, nos emociona e nos deixa triste. Ele nos motiva a ir atrás do que e de quem queremos e nos faz pensar que realmente cada dia é realmente como se não houvesse o amanhã.

Nada é mais lindamente romântico que Jenny dizendo: "Amar é jamais ter que pedir perdão." 

Foi isso que me fez apaixonar-se por esse livro... é lindo, é comovente, é um amor de verdade daqueles que a gente passa a vida achando que vai viver e único.




Compartilhando um desabafo...

sexta-feira, maio 10, 2013 Nenhum comentário

"Quando a gente quer demais, qualquer muito parece pouco. E eu sempre fui da tribo das insatisfeitas. Se eu posso ter mais, porque me contentaria com menos? 'Odeio comodismo' sempre foi meu argumento oficial. E de repente, me vejo acomodada. Amarrada, em cárcere privado, vítima dos meus próprios fantasmas. Alguém comigo há anos, que nunca esteve realmente do meu lado, só porque isso é quase ter alguém e, não que seja melhor que nada, mas é que eu já tô cheia de 'nadas'. Histórias organizadas por durabilidade numa prateleira empoeirada e o que me sobrou disso tudo? Me doei tanto, que hoje em dia me falto. Me doí tanto, que até hoje sangra. Vira e mexe, em dias frios ou quando toca uma música boba. Quase passa, mas não passa nunca. Eu já não suporto o gosto agridoce de fingir que tá tudo bem. E ter paz por dias contados. Eu nunca achei justo ter feito tantos curativos, ainda que a força, e ser deixada sempre aos meus próprios cuidados. Eu não abro mão da minha independência, faço questão de segurar meus trancos, mas que falta me faz alguém querendo dividir o peso comigo. Ainda que eu não aceite. E todas as vezes que eu não peço, eu preciso tanto de colo. Aí alguém vem e enche o meu copo, o que piora tudo muito mais. Não quero vodka. Não quero um corpo, não quero uma boca, eu não quero sair numa sexta à noite. Quero não sentir tudo esmagado aqui dentro, do jeito que tá agora. E fica tantas vezes. Eu penso, digo em voz alta, repito em outros tons e não consigo achar que seja pedir demais querer alguém que sinta a minha falta, faça questão de mim. Queria ouvir que tá tudo bem e que de alguma forma esteja, só porque ele tá ali, pra mim e por mim. Tirar o salto e ficar brega, imatura, apaixonada. Como canta Los Hermanos, a gente só queria um amor, Deus ás vezes parece se esquecer."

Marcella Fernanda


Geralmente eu coloco textos de minha autoria, mas hoje sem querer tava no face e comecei a ler esse texto, não consegui parar até chegar ao fim... amei... é muito aconteceu comigo, com você e acho que com a Marcella também, é como se a gente se encontrasse em cada nova frase e momento. Eu mesma, digo que amo a minha liberdade, a minha independência e todas as coisas boas que eu construí para o meu mundinho particular, mas no fundo, o que não temos coragem para assumir é que precisamos de alguém segurando nossas mãos. Precisamos sim de alguém nos dizendo que tudo vai dar certo. Alguém que nos diga como estamos bonitas, perfumadas. Precisamos nos enxergar no brilho de outros olhos que não seja nosso reflexo em frente ao espelho.
 Todos nós precisamos de um amor, de um carinho, de um abraço de verdade. Isso é o que nos mantem vivos.



Queria que você não fosse o cara dos meus sonhos e menos ainda o da minha ilusão.

segunda-feira, abril 22, 2013 Nenhum comentário



Não sei porque, mas queria esbarrar com você qualquer dia desses. Queria poder dizer tudo, ou não, queria simplesmente poder olhar no fundo dos seus olhos e apenas observar. Queria poder ver se ainda passa nosso filme, ver se ainda pode ser, se talvez pode ser ou se realmente será nunca mais.


Nunca mais é muito tempo para classificar alguma coisa, e acontecer ou não alguma coisa é muito para classificar qualquer coisa que aconteceu ou pode acontecer.

Queria que você não fosse o cara dos meus sonhos e menos ainda o da minha ilusão.
Por que ao mesmo tempo que te quero, queria não te querer com toda essa vontade.

Queria não pensar em você quando vejo um filme do Nicholas Sparks ou quando escuto Marisa Monte. Queria não sentir aquele gelo na barriga quando sinto o seu perfume em outros homens. Queria fingir que nossa história não existiu, mas as pessoas me perguntam por que sou fria, ai me lembro de você.

Queria poder dizer de novo "Eu te amo" à alguém, mais ai me lembro o que pode acontecer depois dessas palavras tão mágicas.

Queria muitas coisas ao mesmo tempo que não queria simplesmente nada. Simples assim. Queria ficar sentada para sempre num lugar bem bonito, com um dia de sol, mas mesmo assim um dia frio, lendo vários e vários livros, com todos os tipos de romance. Com todos os tipos de amores que se pode viver. Todos aqueles amores que nos são tão reais, mas que na verdade, apenas nos deixam assim, acreditando em coisas impossíveis.

Respirar um pouco mais em cada novo dia.



segunda-feira, abril 15, 2013 Nenhum comentário



Engraçado como tudo é subjetivo em nossas vidas, nossos sentimentos, nossa dor, nossos momentos de raiva e angustia.
Interessante como as pessoas desaparecem e resolver aparecer achando que tudo ficou como ela deixou.
Não tem como você desaparecer, passar 365 dias em outro mundo, país ou o que quer que seja e voltar e achando que as coisas não mudaram, que eu não mudei ou que ainda sou a mesma garota por dentro. Não! Na verdade preferia que você estivesse morto ou que você nunca mais aparecesse em nossas vidas. 

Hoje eu sou feliz, tenho novos amigos, tenho minha família, minha vida de volta, de onde eu nunca deveria ter saído. Quando eu te conheci, estava perdida, deslumbrada com o mundo e as novas possibilidades de viver. Estava seduzida com o quanto as pessoas podem ser enganadoras. Me deixei viver um mundo mentiroso de festas e festas. Me deixei acreditar que tinha amigos para sempre por ai. Mas na verdade, nem você foi meu amigo.

Voltei para casa quando tudo estava perdido, tinha perdido duas das pessoas mais importantes da minha vida e de toda a minha existência, tinha perdido a confiança dos meus irmãos, ás pessoas me olhavam não mais carinhosamente como antes e sim como uma menina sem originalidade. Perderam a confiança em mim e na minha vida.

Reconquistei tudo e á todos sozinha e com as minhas forças e vontades. Reergui meu mundo, minha fortaleza, as pessoas estavam ao meu lado de novo, sem julgamentos e sem medo de me perder, porque eu passei a confiança de que não as abandonaria de novo. 

Passou um ano, mas para mim é uma nova vida, da qual você não participa, da qual você não faz parte. Uma vida que eu NÃO quero ter você. Uma vida QUE EU NÃO QUERO QUE TE CONHEÇA. Uma vida há qual eu devo a minha vida. Uma vida que é apenas minha.

Por favor, se afaste e não machuque as pessoas á minha volta.

Agora esse é o meu mundo, de onde eu jamais deveria ter saído.


Carrie e Big ♥

sexta-feira, abril 12, 2013 Nenhum comentário
É possível amar e odiar uma pessoa?
Sim!
Mr. Big.

Como depois de tudo a Carrie consegue aceitar ele?
E ao mesmo tempo, como a Carrie não poderia aceitar?

Ele é doce, amável e ao mesmo tempo ríspido com ela, um verdadeiro cavalheiro e um irônico sedutor.

A Carrie o conhece por acaso, se apaixona e sofre, sofre e sofre por muitos anos. É como se Big tivesse certeza que ela estaria lá para sempre há sua espera. E ela estava.

E muitas de nós não dizemos nada, mas estamos. Até que momento?

Carrie esteve sempre lá, aceitava tudo e todas as viagens e todo drama da vida "séria" correta de Big. Mas ele a decepcionava sempre e tanto. Ao invés de ver o discurso de Carrie num casamento, ele preferiu atender seu celular. Ao invés de contar de suas viagens, ele ligava quando estava partindo. E ela estava lá, ela aparecia, ela ligava, ela dava um jeito de deixar sempre claro para ele que havia importância sim em seu mundo. 

Ela sobreviveu quando eles terminaram e mais ainda quando Big se casa com uma outra mulher. Carrie é a típica mulher forte, mas que tem o coração despedaçado pelo homem dos sonhos de qualquer garota.

Carrie vive, sobrevive, sonha novamente com um amor. E parece que seu mundo sempre dá voltas e volta para o mesmo lugar. Carrie e Big terminaram, Carrie e Big voltaram, terminaram novamente, voltaram, terminaram... Ela conheceu homens incríveis (lembra do Aidan), mas nunca foi capaz de esquecer Mr. Big.

Eu acho que Carrie merece sim alguém melhor que Big, mas quantas vezes ela esteve com outros caras e desejamos que o Big aparecesse? 
Quantas vezes babamos nas coisas que Big disse para ela?
Quantas vezes quissemos estar no lugar de Carrie?
Quantas vezes suspiramos com aqueles luxoooos que Big proporciona á ela?

Carrie e Big não podem ficam separados, são aquele tipo de casal que parece não combinar com mais ninguém além deles mesmos. São tão insanamente apaixonantes.

Quem acreditaria que Big á buscaria em Paris?
Quer prova de amor maior que isso??

Big ás vezes te amo e muitas outras te odeio, mas você é o homem dos nossos sonhos.





“Não importa quem partiu seu coração ou quanto tempo vai levar para sarar, você nunca sairá dessa sem seus amigos.” – Carrie Bradshaw

"Estou a procura de amor. Amor verdadeiro. Amor ridículo, inconveniente, que consome, daqueles que não se pode viver sem o outro."  – Carrie Bradshaw 

“No final das contas, tudo entra nos eixos… até lá, ria das confusões, viva o momento e saiba que tudo acontece por um motivo.” – Carrie Bradshaw
quarta-feira, abril 10, 2013 3 Comentários




Só foi isso? Só esse sentimento? Tive medo de saber qual seria a resposta para as minhas perguntas, que por sinal, mal sabia quais seriam?

Sem nada novo, sem lágrimas, sem dor, simples assim?

Eu esperei por 10 longos anos, com mil coisas ensaiadas para falar e foi só isso?

Eu bolei centenas de teorias amorosas e não amorosas e nada foi usado?

Nem sei o que pensar e agora não sei nem mais o que te dizer, se a última pergunta foi minha, por quantos anos irei esperar uma nova resposta? Acho que dessa vez não vou mais esperar.

Quero rir da minha cara e mais ainda da sua. Rir da sua falta de entrosamento,  falta de vontade, falta de palavras. 

Eu tive um desencanto! Desse vez eu vou fugir do meu hábito e não vou esperar nada mais.

Lollapalooza 2013

terça-feira, abril 02, 2013 Nenhum comentário
Eu fui, eu fui, eu fui, eu fui....

Show The Killers no Lolla

“Eu nunca senti essa emoção na minha vida e nem nada parecido. Já fui à outros shows que queria muito, mas jamais me senti daquele jeito. Era alegria, felicidade, vontade de rir, de chorar, de agradecer por estar vivendo aquele momento, queria filmar, tirar fotos, pular, cantar, chorar de emoção e ao mesmo tempo olhar para o Brandon.”



Assista aqui o novo clipe do Copa


“Já assisti à uns 5 shows do Copa com a formação antiga, e esse foi o 1º com a nova formação, show tão bom quanto os outros que assisti na minha cidade, um show muito maior que todos os outros que vi, claro, estamos falando de festival e estrutura, mas foi maravilhoso. Foi o 1º show do meu dia, e mesmo com a chuva chegando a expectativa era absurda. O palco alternativo estava beeeeem perto de poças de lama, mas, cheguei uma hora antes do show para esse palco e assisti diretamente da grade. Maravilhosamente linda, Camila desceu e cantou com a galera.”






"O show do Temper foi absolutamente zen, estava perfeito, ótimo, e mesmo com um início marcado com erro de som da banda, foi maravilhoso. Deveria ter sido maior o tempo do show, porque uma hora só de apresentação deixou a galera com vontade de muito mais.”

Sweet Disposition no Lolla 2013





Assista aqui Do you Realize - Flaming Lips

“Nesse show, tinha uma moça ao meu lado que curtia a banda, cantava algumas músicas, outras não, mas estava curtindo o show. Quando chegou quase ao fim da apresentação, tocou uma música que deve ser bem marcante para o público deles, “Do you Realize”, a expressão dessa mulher mudou. Os olhos dela brilhavam, se encheram de felicidade e parecia que naquele momento ela não estava mais ali, como se tivesse se transportado até onde a mente dela estava. Foi magnifico ver aquilo.”

Com sol e calor absoluto, depois com chuva, depois sem chuva, nada importava, a expectativa para cada show era única.



Prontissíma para 2014!!!

Ás vezes o amor dura, outras apenas machuca.

segunda-feira, março 18, 2013 2 Comentários


O tempo não para, as promessas não duram, os momentos não vivem para sempre e as palavras... As palavras não devem ser guardadas em nossas lembranças.  Pois são elas que nos farão lembrar sempre e sempre o quanto podem nos enganar tão fácil.

Você vive, conta seus segredos, se deixa levar, se apaixona por coisas simples, cotidianas, por abraços inesperados e por como pareceu verdadeiro toda vez que você segurou em minhas mãos e até mesmo quando por muitas vezes, disse eu te amo.

Quantas conversas ao telefone, quantas promessas de uma vida, quantas faltas de verdade. O quanto é possível manipular uma situação?
Quantas pessoas mais passaram por isso com você?

Com quantas pessoas você prometeu estar para sempre?

Com quantas pessoas você usou a mesma mentira disfarçada de ilusão?

Agora, já não me importa. Porque eu vou encontrar alguém e não será como você. Não vou me permitir acreditar nas mesmas loucuras.

Apenas ontem achei que o tempo com você foi o meu melhor, mas a cada dia que se passava um pedaço de mim sumia por estar ao seu lado, como se alguém tirasse pétala por pétala de uma rosa. Uma hora me vi sozinha, sem você e suas promessas.  E não tive mais medo, nem arrependimento. Ás vezes o amor dura, outras apenas machuca.

E é isso que eu guardo da nossa pequena história. Ou da sua grande encenação.

Hoje eu quero sair só...

sexta-feira, março 15, 2013 1 Comentário


Hoje eu quero sair só, conhecer gente estranha, fazer amizade esquisita, beber alguma coisa diferente, me aventurar num mundo ainda desconhecido. Ouvir vozes irreconhecíveis, um toque sensível e um sussurro extasiado.

Hoje eu só quero sair da minha bolha, seguir a contramão do meu destino. Quero me cercar de coisas interessantes, de pessoas que não exijam explicações. Pessoas que não vão questionar o certo e o errado.

Quero sentir o inseguro da noite escura e o entusiasmo do amanhecer.

Não quero mais a mesma rotina, nem as mesmas músicas. Quero a satisfação e a garantia de que sou uma pessoa melhor sem você.

Hoje eu não te quero.

Hoje eu apenas quero sair só.

Devaneios...

sexta-feira, março 08, 2013 3 Comentários

Quando a gente se "apaixona" pela primeira vez, tudo parece perfeito como nos filmes, como nos contos ou como nos nossos sonhos.

Tudo parece que vai dar certo e parece sim que existe o tal de "felizes para sempre". Mas, ai você olha no espelho e percebe que ainda tem apenas quinze anos e que "felizes para sempre" é tanto tempo que até perde a conta.

Temos que terminar o colégio, prestar vestibular, arrumar um emprego, começar a faculdade e conciliar tudo isso com o trabalho que encontramos e com a vida que gostaríamos de viver. De repente olhamos para nosso lado e percebemos que ninguém está a segurar nossas mãos. Percebemos que escolhemos caminhar sozinhos, que escolhemos viver nossos sonhos. E que deixamos para trás o que julgamos não caber no nosso particular aquele momento. E o tempo passou, os amigos mudaram, os lugares que frequentamos são outros, nossas músicas preferidas agora são velhas e aquela paixão, está por aí pelo mundo. Mas onde?

Novamente olho no espelho, percebo que se passaram sete longos anos.  Sim, terminei o colégio, sim, fiz milhares de vestibulares já que estava sempre com dúvida, sim arrumei um emprego e não, não terminei a faculdade, porque nem ao menos tinha começado uma. Simplesmente me bateu de novo a ideia de que tenho tanto tempo para viver que me permiti jogar fora uns anos da minha vida pela janela do meu mundo particular. Encontro-me perdida e confusa. Inscrevo-me para qualquer vestibular de qualquer faculdade para simplesmente qualquer curso. E aprendo a gostar desse novo. Desse novo horizonte e novas ideias. Perco coisas importantes e pessoas mais importantes ainda. Tenho sonhos que mostram o que seria da minha vida se tivesse vivido diferente. Se tivesse falado sim ao invés de não e não. E esses sonhos começam a ser muito mais constantes. Começo a entender que a vida não é longa como deduzimos. E troco tudo a minha volta de novo. Pessoas, lugares e emprego. Mergulho na solidão que eu escolhi viver. Mas, não sabia que poderia afundar. Ah! Mas não estávamos falando da “paixão ou amor” no começo disso tudo?

Desde o inicio passaram-se mais de dez anos e esse ano eu decidi que não poderia amar, porque não havia tempo para isso no meu mundo, estaria muito ocupada, terminando a faculdade, procurando um novo emprego e tentando abrir um negócio para mim, quando simplesmente um botão de atualizar a página pode mudar toda meu percurso. Parei em frente á tela do computador e congelei por um longo momento. Não sabia o que fazer e menos ainda o que pensar. Só passou na minha cabeça porque agora que eu desisti desse amor, desisti de te procurar na rua todos os dias enquanto caminho. Porque você sozinho apareceu no meu mundo abalando toda a minha estrutura?

Sonhei novamente com você e tudo está mais e mais confuso. Isso é o fim ou de novo o começo?

E dessa vez é para ser de verdade ou apenas para me lembrar de que meu “felizes para sempre” passou e se eu tivesse vivido poderia ter sido bom.


ISSO DE FATO EU NUNCA SABEREI.




Significado de Devaneio

s.m. Ação ou efeito de devanear.
Ausência de razão.
Estado de espírito de quem se deixa levar por lembranças, sonhos e imagens: passar as horas em devaneio.
Resultado de sonhos, quimeras, fantasias, ficções: isto são devaneios de uma alma doentia.


 
Desenvolvido por Michelly Melo.