Ainda em crise...

quarta-feira, fevereiro 05, 2014 5 Comentários


Há tanto o que viver, tantas coisas para aprender e parece que eu estou paralisando meu próprio destino.

Ainda há uma imensa lista de filmes para assistir, uma centena de álbuns para ouvir, um mapa-múndi inteiro para riscar os lugares por onde eu passar.

Com certeza há um amor perdido por ai, onde quer que esteja um dia a gente se esbarra. Espero que não seja tarde demais. Talvez eu tenha me desviado do trajeto. Talvez eu tenha escolhido viver á amar. Talvez meu sacrifício tenha sido escolher ser livre.
Não consigo mais me prender a uma alma. Não consigo mais acreditar que seja para sempre. O tempo passou tão depressa que qualquer para sempre será por pouco tempo agora.

Toda a minha angustia me fez percorrer por outras estradas. Eu estive o tempo todo de braços abertos, eu estive o tempo todo esperando e eu acreditei que seria.
Eu compreendi todos os meus erros e não os repeti.  Eu tirei toda a culpa que eu julgava não me pertencer e encarei todas as coisas que me vieram depois.
Ainda assim eu vivo o não amar. Apesar de esperar, apesar de emocionar-se com amores alheios, eu decidi não viver apenas pelo “amor reciproco infeliz”.

Eu quero uma história de amor igual aos filmes. Eu quero ser o “Dexter*” de um alguém. Eu quero que alguém me queira. Alguém que espere o tempo que for. Alguém que simplesmente saberá que é e pronto.
Não sei em que ponto da minha vida eu preciso que esse alguém apareça, pois, eu estou tão atrasada comigo mesma, com as minhas escolhas e com as minhas realizações que parece que talvez nessa vida o amor já não tenha mais tanto espaço. Já vivi um amor, já me permiti ser magoada, já me permiti passar noites em claro. Agora eu acredito que o amor já não vale mais tanto assim para mim.
Meu amor pela liberdade é tão maior que qualquer outro amor que eu necessite (no momento).
Tantas outras vezes permitiram-me abrir meu coração e não passou de nada, além de uma nova música para a trilha sonora da minha vida (ou uma nova tatuagem).

Não sei por quanto tempo ficarei por aqui. Minha nova paixão é o mundo e eu estou disposta a encontrar todas as minhas interrogações divagando por aí.

Ponto final.

*Dexter - personagem do livro-filme Um Dia de David Nicholls, o qual Emma Morley passa quase vinte anos há esperar.


 
Desenvolvido por Michelly Melo.