O que é o extraordinário para você?

sexta-feira, julho 21, 2017 7 Comentários



Foi essa a pergunta que fez eu questionar meu mundo. Será que eu estou vivendo de uma forma extraordinária? Ou apenas estou acordando e deixando os dias passarem?

Uma pergunta que consequentemente nos leva a outra e outra e nos vemos num mar de perguntas que nos deixam dúvidas, estamos vivendo ou apenas sobrevivendo a nossa própria vida.

A vida é muito curta para que tenhamos vergonha de fazer ou dizer algumas coisas, mas, ela é longa demais quando vivemos amargurado com nós mesmos ou com as pessoas a nossa volta.

Eu gostaria de estar nesse exato que estou vivendo na minha vida?

Acho que vários de nós não sonhamos com a realidade em que vivemos, mas acredito que um outro tanto de nós consegue agradecer grandemente ao momento que os trouxe até aqui.

Voltando a pergunta, para mim o extraordinário sempre será o “Amor”, senta que lá vem textão.

O amor é algo que a gente não procura (OK! As vezes procuramos sim!!!), é algo que a gente não consegue impedir de sentir. Sente e ponto. Sem nada em troca. Como já dizia o incrível Carlos Drummond de Andrade “Eu te amo porque te amo”. E é assim mesmo, a gente não sabe o porquê ama aquela pessoa. Nós apenas conseguimos sentir, e mesmo muitas vezes não existindo uma correspondência no amor a gente não deixa de amar por isso, já vi gente que até ama mais ainda.

Eu acredito no amor! Já achei que havia desistido dele e ele de mim. Já achei que meu coração era gelado e que eu não tinha nenhuma gota de emoção e aí eu descobri que eu não amava a mim mesma como desejava que as pessoas me amassem. Eu já amei as pessoas acima de mim e isso me destruía psicologicamente aos poucos e parecia que eu não percebia que quanto eu mais amava, dedicava-me a essas pessoas mais “doente” ficava minha alma, mais vazia e lentamente eu me matava pouco a pouco. Não é um exagero. No momento em que a gente ama mais as pessoas do que a nós mesmos, nós nos decepcionamos mais e nos tornamos mais e fracos e dependentes dessas pessoas, como se a gente deixasse de se conhecer. É você, mas de repente já não é mais. Entende?

Tem uma fase da nossa vida que a gente entende diversos tipos de amores, e não só aquele que faz a gente suspirar e sorrir sem motivos. Nessa fase entendemos o amor de nossos pais por nós, o amor de nossos irmãos, amigos e até mesmo compreendemos o nosso amor por essas e outras pessoas.

Acredito que quando a gente vai se tornando adulto o amor vai se clareando mais em nossa vida e deixa de ser o conto de fadas que sonhávamos quando tão jovens ainda tínhamos uma vida de esperanças a viver. Claro que ainda há esperanças e vida a viver, mas a verdade é que nos tornamos mais reais.

No momento em que você se ama mais do que ama seu namorado (a), você não precisa mais dele para ser a sua metade, você precisa dele para caminhar ao seu lado e serem felizes juntos. Se não der certo ok, sabe porquê? Porque você se ama o suficiente para respirar fundo e encontrar alguém que queira caminhar e dividir uma vida com você. Dividir uma vida e sonhos com um alguém não é abrir mão de nossa individualidade e nossos sonhos para realizar os de outro alguém. Como dizem por aí, a vida é curta demais para deixar de viver.

Em um outro momento em particular da nossa passagem (e acredito que esse seja o meu) a gente já não se questiona mais sobre amar alguém, mas sim, amar o que vivemos, pessoas, momentos, e a parte mais dolorida, amar os momentos que já passaram, momentos que vivemos felizes e que não podemos mais viver. E essa é a parte em que diversos momentos nosso coração dói e precisa transbordar de alguma forma. Uma coisa que eu aprendi (obrigada pela vida), nunca fique brigado com as pessoas que lhe importam, nunca vá dormir bravo com alguém. Porque o pior é que um dia não haverá o amanhã, mas as vezes não é o seu amanhã e sim o da pessoa que você tanto adorava e amava. E eu te garanto não há nada pior que recomeçar sem saber por onde. Não há nada mais triste que as novas primeiras vezes sem que você nem se lembre quais foram as últimas vezes em que vocês viveram algo junto. Não há nada mais devastador que um dia acordar e não se lembrar, mas da voz da pessoa que você ama, ou quando você começa a esquecer como a pessoa é.

Esse é o momento em que você questiona se realmente está vivendo a sua vida de uma forma extraordinária.

E de repente, você descobre novas formas de amar novamente.

E lembra do mais importante, se uma vez houve o amor, não importa o motivo que o trouxe, nem o motivo que o levou, sempre será amor quando você se recordar. Porque fez parte de você e da sua história.


E nesse momento você descobre que pode sim viver uma vida extraordinária porque existem milhões de outras vidas que em algum momento precisarão de você e da sua história. No momento em que você tocar um coração com a sua história, respire fundo, pois você fez sua parte nessa orbita insana e magnifica que é viver.





Siga também a página do Blog lá no Facebook Ironicamente Inusitado 
 
Desenvolvido por Michelly Melo.